História do Automóvel no Brasil – Parte III

História do Automóvel no Brasil – Parte III

Olá, antigomobilistas, entusiastas e fãs de automóveis de plantão! Hoje voltamos a série de matérias sobre a “História moderna do automóvel” 

A revista Quatro Rodas contou a História Moderna do Automóvel

Veja na matéria de inauguração o projeto da série para contar a História do nosso querido automóvel, que está sempre presente em nossas vidas, trazendo comodidade e conforto, além de recordações valiosas de nosso passado. Confira o terceiro capítulo:

 

Quatro Rodas, edição nº 20, de Março de 1962

A imagem ao lado é da Edição nº 20, de Março de 1962. Confesso que nem fazia um mês que eu era nascido, e a revista já bombava. Esta edição teve uma tiragem de 85.000 exemplares, e se intitulava  a “Revista Brasileira do Automóvel e Turismo”. Perceba o quanto parece atual a matéria de capa: “Adianta correr?” era o tema explorado, e a Quatro Rodas fez uma experiência em São Paulo para experimentar as opções de andar normal, um pouco mais rápido, mas ainda respeitando as leis, e uma terceira hipótese, burlando algumas leis; no trajeto proposto, a primeira opção foi em 34 minutos, a segunda opção foi em 30,5 minutos e a terceira, em 28 minutos, ou seja, provaram que correndo e burlando a as leis se ganharia 6 minutos, mas correndo risco e passando medo.

Propagando do Aero Willys '62

A propaganda na última capa da revista apresentava o Aero 1962, carro fabricado pela Willys em São Bernardo do Campo, e que esbanjava luxo e bom gosto, era o que tinha de sofisticado para os gostos mais requintados, carro executivo de sucesso, que distinguia seus proprietários endinheirados com sobriedade e classe.

Esta edição da revista chama a atenção pela falta de matérias sobre carros nacionais, tem assuntos demais, muita propaganda, muito turismo… e pouca coisa sobre carros nacionais, aliás, nada mesmo! Então vamos explorar uma matéria interessante sobre estilos de carros ao redor do mundo:

Cadillac; auto-afirmação no estilo americanoA matéria explora que nos tempos modernos o carro deixa de ser mero meio de transporte para receber a atenção de estilistas e agradar os consumidores locais, o que influenciou no estilo. Acima vemos o imponente e faustoso Cadillac para combinar com o estilo do norte americano. 

Citroen, estilo francês

Mercedez Benz, estilo alemão

Ford, estilo norte americano

 

 

 

 

 

Os vários estilos são explorados na matéria, desde o pomposo estilo francês, representado pelo Citroen, que passa a ser mais simples nos anos 1960, passando pelos conservadores e funcionais alemães, como a Mercedes e a beleza e impacto emocional do estilo norte americano, representado pelo Ford e pelo Cadillac. Mas os Britânicos, com sua austeridade e tradição, não são esquecidos, e são representados pelo maravilhoso Jaguar, bem como a moderna escola italiana, que dita a moda em veículos até hoje, é representada pelo charme e encanto do Fiat 2300.

Jaguar: estilo britânico Fiat 2300: estilo moderno italianoComo na edição que mostramos na matéria anterior, não houve destaque para a Indústria Nacional, as montadoras estavam trabalhando a 1000, mas parece que o forte delas não estava na divulgação dos veículos nas revistas, que aliás, estavam ainda começando sua jornada de sucesso rumo às campanhas mais agressivas de divulgação que só viriam mais tarde, com testes e ensaios fotográficos elaborados dando mais visibilidade aos lançamentos.

Não perca, breve estarei publicando as novidades antigas de 1963…

Curta a página e me acompanhe! Obrigado por estar conosco até aqui!

Eu sou o Mauricio Super

Contando a História do Automóvel pra você

Conheça também o Classificados do Baú!

Acompanhe a gente nas redes sociais, olha as opções:

   

CC BY-SA 4.0 História do Automóvel no Brasil – Parte III by Baú dos Antigos is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *