História do Automóvel no Brasil – Parte V

História do Automóvel no Brasil – Parte V

Olá, antigomobilistas, entusiastas e fãs de automóveis de plantão! Hoje voltamos a série de matérias sobre a “História moderna do automóvel” 

A revista Quatro Rodas contou a História Moderna do Automóvel

Veja na matéria de inauguração o projeto da série para contar a História do nosso querido automóvel, que está sempre presente em nossas vidas, trazendo comodidade e conforto, além de recordações valiosas de nosso passado. Confira o quinto capítulo:

Teste do Simca Tufão

  Quatro Rodas edição nº 50 - Setembro 1964Edição interessante! O que mais gostei foi o teste do Simca Tufão, mas tem matérias muito boas para os amantes de carros, como o flagrante do Uirapuru com motor de “caminhão” e quase 200 cavalos, ou seja, um GM de seis cilindros, velho conhecido nosso. E tem também a matéria sobre o Ford GT, que inovou com tanque de borracha, para solucionar o problema do motor traseiro para competição. Como a revista é de Automóvel e Turismo, não podia faltar uma boa matéria sobre o assunto. Desta feita eles abusaram do verbo, iniciando a matéria afirmando que, em 1964 não é tão difícil chegar em Recife de automóvel, pois são apenas seis folgados dias de viagem, saindo do Rio ou São Paulo. Vamos lá então, deixemos o avião de lado para viajar à Recife, pois é bobagem. É isso, Quatro Rodas antiga, com a linguagem antiga, e com muitas outras matérias legais. Vamos hoje direto às matérias sobre carros, lógico. Iniciamos com este ótimo vídeo ilustrativo da Garagem do Bellote, que resume a história deste carro luxuoso, elegante e confortável, que é o Simca Chambord com motor Tufão. Aumente o som e curta o ronco animal:

O Simca era e é ainda um carro impressionante, que teve um índice elevado de nacionalização nos anos de 1960, e que estarei dando mais detalhes em matéria próxima da série: “Automóvel Brasileiro. Você conhece?… Aguarde!

Simca Tufão 1964 - Propaganda da épocaA Quatro Rodas testou o carro e aprovou, com destaque para os freios, que considerou “excepcional”, afirmando em linguagem da época que “teste de freios não é sopa!”, mas a Simca Tufão se saiu muito bem, e também se saiu bem em outros itens como estética, considerado por eles um belo carro, que melhorou muito em relação ao modelo anterior, aprovou o conforto e o motor, porém, com a ressalva de faltar torque em baixas rotações. Destaque também para a estabilidade, ótima segundo os testes. Devemos citar que os testes da época eram feitos com pranchetas e lápis, cronômetros manuais, trenas e medidas visuais, e era tudo bem aceito pelas pessoas, pois era o que tinha de informação. As pessoas compravam carros baseado nestas opiniões. Mas era um carro fantástico.

O Uirapuru voa com motor de caminhão

A matéria fala da caçada do repórter que ficou à espreita muito tempo para flagrar esta novidade que estava sendo produzida pela Brasinca, uma Berlineta para ser acima dos padrões Nacionais, e com componentes da GM, e o tal motor de caminhão era o das pick-ups Chevrolet 6 cilindros da época.

Uirapuru 4200 GT

modelo conversível - raro Gavião - 2 unidades para a Polícia Rodoviária

Estes foram os três modelos produzidos, o carro foi apresentado pela primeira vez no IV Salão do Automóvel, já em 1964. A Brasinca vendeu o projeto à STV que fabricou o modelo 4200 GT, o conversível e o Gavião, especialmente para a Polícia Rodoviária; este último tinha de fábrica duas metralhadores na grade acionadas do painel. Em 1967 a produção foi encerrada devido ao alto preço, que concorria com os importados. Das cerca de 70 unidades produzidas, 3 eram conversíveis e dois Gaviões. Este filme histórico e muito raro, mostra o Gavião em ação, num dos capítulos da icônica série “Vigilante Rodoviário”, sendo uma prova da existência desta raridade, que ficou apenas para a história:

Ford GT com tanques de borracha

A curiosidade desta matéria é a solução encontrada pelos engenheiros da Ford para colocar os tanques de combustível no modelo com motor traseiro entre as rodas, que não poderia ser de metal por questão de segurança e montagem dos mesmos no veículo devido à localização. Sendo de borracha, eram montados como “bexigas”, passando por pequenos orifícios. A Goodyear propôs utilizar a mesma tecnologia usada em aeronaves. Moderno para a época, não!Ford GT 1964

Ford GT 40 1964 Ford GT 40 1964

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Revista 4R nos conta a história do automóvel no Brasil, e nos inspirou para estas matérias, que estarão mostrando ano após ano como a Indústria evoluiu e resolveu o problema de mobilidade do País, e além disso realizou o desejo de milhões de pessoas em possuir ou andar num automóvel, fator de diferenciação na sociedade. Perceba que as imagens e vídeos da matéria têm diversas origens e são ilustrativos, não refletindo o conteúdo da edição na íntegra, que serve de inspiração para o tema.

Aguardo você na próxima edição desta matéria, direto para o ano de 1965.

 

Eu sou o Mauricio Super

Contando a História do Automóvel pra você

Conheça também o Classificados do Baú!

Nos acompanhe nas redes sociais, olha as opções:

 

CC BY-SA 4.0 História do Automóvel no Brasil – Parte V by Baú dos Antigos is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *