História do Automóvel no Brasil-Parte VII

História do Automóvel no Brasil-Parte VII

Olá, antigomobilistas e entusiastas do passado dos nossos carros! Hoje voltamos à série de matérias sobre a “História moderna do automóvel”.

Falaremos hoje do ano de 1966, com as novidades no Brasil… acompanhe esta viagem inusitada e veja carros feitos com carinho!

A revista Quatro Rodas contou a História Moderna do Automóvel

Veja no episódio piloto o projeto da série para contar a História do nosso querido automóvel, que está sempre presente em nossas vidas, trazendo comodidade e conforto, além de recordações valiosas de nosso passado. Confira esta edição:

 

Ano VI – nº 69 – Abril de 1966

Quatro Rodas Ano VI - nº 69 - Abril de 1966

A capa desta edição é dedicada ao Inglês Triumph TR4A, que passa a oferecer conforto e um preço mais em conta, quebrando o tabu de que carro esporte Inglês é desconfortável e caro. Este modelo poderia ser importado e chegaria às mãos do consumidor por uma agência de São Paulo ao custo de “apenas” 17 milhões de cruzeiros. Para se ter um comparativo, o Itamaraty, um dos carros mais luxuosos da época, custava um pouco menos de 12 milhões.

Mas então esta matéria não é sobre carros nacionais?? Calma… o fato é que nesta época a Quatro Rodas não havia ainda despertado para a Indústria Nacional, ou vice-versa, não havia investimento mais agressivo da Indústria em propaganda através de matérias mais elaboradas! Bom, o que se via na revista eram propagandas de peças e outras coisas sem valor agregado para o leitor, encartadas nas páginas da revista, mas as grandes matérias pagas, com testes e especificações técnicas estão ainda por vir. Enquanto isso os leitores se fartavam de matérias sobre turismo, carros de outros países e propagandas convencionais. A capa já nos dá conta desta realidade, pois havia lindos carros nacionais em 1966, mas nenhum ganhou esta honra!

Vamos ver algumas destas propagandas?

Estojo de pronto socorro já foi obrigatório Propaganda para homens Volkswagen investia em encartes apenas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Parece estranho uma empresa investir em propaganda numa revista de alcance nacional para vender produtos de baixo valor agregado, como os estojinhos de pronto socorro ou lâminas de barbear, mas se fazia isso naquela época, sim. A Volkswagen, neste caso, estava colocando o Karmann Guia na mídia correta, embora não investisse em matérias pagas; somente mais tarde veremos as montadoras seguirem este caminho.

A verdade é que esta edição tem apenas uma matéria interessante, sobre o Malzoni GT – DKW. Pouca gente conhece este esportivo genuinamente nacional, e o idealizador desta ideia foi Rino Malzoni, que fundou mais tarde, com seus companheiros, a Sociedade de Automóveis Lumimari Ltda, em São Paulo. A empresa comprava chassis completos da Vemag para vesti-los com carrocerias Malzoni. A ideia inicial era produzir para competição, mas alguns exemplares foram feitos para as ruas. Veja esta matéria do jornalista Boris Feldman e entenderá melhor esta história:

 

Como você viu no vídeo, o carro é colecionável e raro, e ficou conhecido como DKW Malzoni por sua mecânica e mais tarde deu origem ao carro que todos conhecem, o Puma GT com mecânica Volkswagen, que começou sendo Puma DKW e então a Volkswagen adquiriu a DKW, encerrando a sua produção, que chegou a 135 unidades apenas, aí o jeito foi passar a fabricar o Puma GT com a mecânica VW, do Karmann Guia. Mas com certeza foi uma decisão acertada, pois este novo Puma veio evoluindo até o início dos anos 1980 com grande sucesso, como esportivo nacional, e até os dias de hoje é admirado e preservado nos clubes pelo Brasil afora, e até no exterior, em especial na Alemanha.

Interior GT Malzoni GT Malzoni GT Malzoni

 

 

 

 

 

 

O GT Malzoni foi sucesso nas pistas, nas mãos da equipe de competição da Vemag, que agora tinha um carro mais leve e mais estável, tanto que em Outubro de 1964 já ganharia a sua primeira corrida. Em 1965 o carro era desenvolvido somente para as pistas, mas com a criação da Lumimari passa a ser produzido também para as ruas com acabamento melhor. Para encerrar a matéria, fique com a imagem do GT Malzoni com a caracterização com que correu as “Mil Milhas Brasileiras”, em 1966, com Emerson Fittipaldi e Jan Balder, que por muito pouco não venceram, devido à quebra de um pistão. 

Carro em que correu Emerson Fittipaldi e Jan Balder em 1966

Lembro à você que me acompanha, que a revista Quatro Rodas serviu de inspiração para a primeira parte da matéria, fornecendo imagens e informações, mas  que na segunda parte as imagens e textos são de diversas fontes da Internet. Ficamos por aqui e espero que você me acompanhe na próxima edição, ocasião em que mostraremos o ano de 1967 e suas novidades.

 

GT Malzoni do jornalista Boris Feldman,

Eu sou o Mauricio Super

Contando a História do Automóvel 

Acompanhe-nos também nas redes sociais:

CC BY-SA 4.0 História do Automóvel no Brasil-Parte VII by Baú dos Antigos is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

2 Responses so far.

  1. Ricardo Maranhão disse:

    Ainda lembro dessa edição da 4 Rodas . Lia todas e adorava os assuntos ligados ao automóvel . Tinha-os como esculturas ambulantes , cada um com suas características mecânicas e Estilísticas .

    • Olá, Ricardo, ficamos felizes quando tocamos o coração de alguém, e despertamos boas memórias, bons sentimento do passado! Tenho uma ligação muito forte com os carros desta época, e eles estarão sempre em nossas memórias; como você citou, verdadeiras esculturas, obras de arte em movimento para alegrar nossos sentidos, seja pela aparência única, seja pelo ronco, próprio de cada modelo! Obrigado pela participação, e a série vai continuar, com os destaques dos próximos anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *