Nostalgia – Seriados dos anos 70 – Parte II

Nostalgia – Seriados dos anos 70 – Parte II

Nesta segunda parte da matéria, queremos que você se arrepie ao lembrar daqueles episódios misteriosos e sinistros que assistíamos, por ironia, antes de dormir, uma vez por semana, que eu me lembre. Certamente até os dias de hoje, eles devem servir de matéria para os nossos mais terríveis pesadelos, pois, pior do que o terror, é o inesperado, o subjetivo, o que pode acontecer à qualquer momento, sem que tenhamos o menor controle sobre o destino! Prepare-se, pois você estará entrando na…

Twilight Zone

 

Segundo a Wikipédia, “Além da Imaginação no Brasil e Quinta Dimensão em Portugal, é uma série de televisão americana,  criada por Rod Serling e dirigida por Stuart Rosenberg, apresentando histórias de ficção científica, suspense, fantasia e terror. Mediante o sucesso popular da série, ao longo de sua história foram realizadas diversas temporadas e continuações. Além da imaginação (1959), de 1959, da CBS, possui 5 temporadas e 156 episódios, enquanto que na década de 1980 foi lançada, ainda pela pela CBS, o novo Além da Imaginação, com 3 temporadas. Essa primeira continuação foi precedida por um filme, “No limite da realidade”,  que causou polêmica pela morte de um dos atores no set de filmagem. Já no século XXI, houve a produção, pela UPN, de Além da Imaginação (2002) com apenas uma temporada, apresentada por Forest Whitaker.

A grande maioria dos episódios abordava histórias com elementos sobrenaturais, ocorrências “Além da Imaginação” e inexplicáveis, tais como viagens no tempo, mundos paralelos, viagens espaciais, alienígenas, fantasmas, vampiros e outras situações misteriosas, ambientadas em um local denominado “Zona do Crepúsculo” ou “Twilight Zone”, que originalmente dava título à série.”

Se você tiver coragem, tem vários episódios completos no Youtube para assistir, mas procure não vê-los antes de dormir, pois pode ter consequências em seus sonhos, e você certamente vai entrar nesta dimensão obscura do seriado. Mas, caso queira ignorar o alerta, tenha bons sonhos!

 

                        CHIPs

 

Dois policiais norte-americanos, da “Califórnia Highway Patrol”, com suas poderosas motos, representavam o poder da lei, com seus longos braços, mantendo a ordem e a paz. Bons meninos, mesmo sensíveis, eram justos e implacáveis, mostrando aos bandidos que o crime não compensa, e tinham um relacionamento amistoso com a população, ajudando os cidadãos prontamente e com esmerada educação, tal qual deveria ser na vida real, mas que por diversas razões, está milhares de anos longe deste ideal.

Larry Wilcox que fazia o papel do oficial Jon Baker e Erik Estrada como Frank “Ponch” Poncherello faziam suas rondas pelas estradas da Califórnia e impressionavam pela sua honestidade e habilidade em resolver tudo da melhor forma, sem usar armas ou cometer qualquer violência desnecessária, e como detalhe importante, o “Ponch” era de família mexicana, portanto, não era “americano” como seu colega de trabalho.

Com certeza, era um dos meus seriados preferidos, divertido pelas manobras dos carros e motos, situações inusitadas e finais felizes, equilibrando a realidade com uma boa dose de ilusão que faz parte do entretenimento, bem ao estilo Holywood, ícone da década com certeza, e muito recomendado.

 

O Homem de seis Milhões de Dólares

Steve Austin, astronauta, gravemente ferido em uma missão, semimorto. Reconstruído com alta tecnologia robótica, melhor, mais forte, mais rápido, agora tem que se adaptar ao novo corpo e novos poderes. Muita tecnologia e efeitos especiais para a época, cada vez que ele usava sua super-força ou poderes, um barulhinho tecnológico especial era ouvido, e sua impressionante performance nos deixava surpresos.

The Six Million Dolar Man foi uma série de televisão norte-americana produzida entre 1974 e 1978, baseado no livro Cyborg, de Martin Caidin, de 1972, e antecedida por três filmes de televisão, de 1973. Interpretado por Lee Majors, fez muito sucesso em suas 5 temporadas e 100 episódios. Foram usados fotogramas originais da NASA de um acidente real de 1967 com o piloto Bruce Peterson para a série. A criançada da época sonhava em ser este ser forte e biônico, imbatível e implacável. Muito legal, pois certamente inspirou autores em criações recentes como o “Robocop” que lembra um pouco a série.

 

Espero que os mais “antigos” que estão lendo esta matéria tenham sentido aquela nostalgia que eu sinto ao escrevê-la, pois não vivemos de passado, mas utilizamos este como matéria-prima para o presente, e como lições aprendidas para o futuro, e podemos nos atualizar, utilizar recursos modernos como este que estamos utilizando para até preservar o passado e recordar, como diz o meu filho: “hoje temos mais filmes e registros disponíveis do passado, do que na época, quando ainda era presente”, mas não podemos perder nossas referências, que nos fazem ser o que somos.

E também espero que os mais novos tenham curtido e pesquisem mais para observar a estética diferente da época, os costumes e os modos, para entender melhor o presente e as razões das pessoas que viveram aquela época, e vamos assim trocando experiências de convivência e melhorando o futuro!

E um Old Abraço a todos que me acompanham!

CC BY-SA 4.0 Nostalgia – Seriados dos anos 70 – Parte II by Baú dos Antigos is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *