Os loucos anos 60 – O mundo era assim Cap III

Os loucos anos 60 – O mundo era assim Cap III

Quem não ouviu falar do polêmico AI-5?

Os loucos anos 60 estão chegando ao seu final, mas a loucura ainda vai aumentar, e na área política ela chega ao seu auge com o Ato Institucional número Cinco, em 13 de dezembro de 1968.  Este foi o quinto de dezessete grandes decretos emitidos pela ditadura militar nos anos que se seguiram ao golpe de estado de 1964 no Brasil. Os atos institucionais foram a maior forma de legislação durante o regime militar, e foram inúmeras as suas consequências, sendo um dos fatos históricos mais citados e estudados dos loucos anos 60. A censura prévia da imprensa e de outros meios de comunicação, bem como música, teatro e televisão foi uma das maiores causas de protestos pelo País. Veja este excelente resumo da TV Cultura:

 

A imagem abaixo é clássica, e aparece em todas as pesquisas sobre o tema AI-5, e mostra a violência do regime militar contra a multidão que protesta pela falta de liberdade e outras injustiças mais. 

a violencia explode devido ao AI-5

Nesta época eu era muito criança para entender o que acontecia, e só mais tarde, bem mais tarde é que tive melhores informações sobre esta página nebulosa, entre tantas outras, do nosso pobre Brasil. Neste clima de tensão política, em 1967, é produzido o Itamaraty “Executivo”, entre nove modelos de limousines fabricadas no mundo todo. Isto foi uma estratégia de Marketing da Willys Overland no Brasil para dar ainda mais prestígio à marca. Foram produzidas 27 unidades que chegaram às mãos das maiores autoridades do País. 

 

O lançamento oficial do Itamaraty “Executivo” se deu no V Salão do Automóvel que se realizou em São Paulo, no final de 1966, com a entrega do modelo Especial ao Presidente da República, o Marechal Castello Branco, mas ao contrário do que se fala por aí, não era blindado. 

Itamaraty Executivo Presidencial

Surge também, no mesmo ano, um  automóvel digno de grandes autoridades e altos executivos, o Galaxie, que agitou este mercado e foi único em sua categoria durante esta e a próxima década, até que a crise do petróleo o derrotou, mas ele resistiu bravamente até 1983, e seus felizes proprietários hoje choram sua ausência. Porém, alguns estão rodando por aí, em perfeito estado, tal qual saíram de fábrica, pois foram fabricados para durar para sempre. Se você duvida disto, veja esta foto recente!

Ford Galaxie: lançado em 1967 para durar para sempre.

Mais tarde, em 1969 seria lançado o Chevrolet Opala, e o Dodge Dart, mas não concorreriam com o luxo e suntuosidade do Ford Galaxie. Apenas alguns anos mais tarde surgiria o Ford Maverick para completar a gama de opções de luxo nas várias categorias, distanciando-se dos carros populares, como o Fusca, o Gordini, e mais tarde, o Chevette e outros. No cinema, grandes sucessos surgiam, com produções mais elaboradas, transformando-os em produções inesquecíveis até os dias atuais. Quer ver? Então vamos à este primeiramente:

 

Meu filme favorito, já faz parte da década seguinte, mas bem próximo ainda aos loucos anos 60, este maravilhoso clássico de 1972, O Poderoso Chefão, apresenta uma fotografia impecável e padrões elevados de tecnologia até para os dias atuais, cenas inesquecíveis e roteiro bem elaborado, foi o primeiro e melhor de uma trilogia sobre a família “Corleone”, da máfia italiana, que resolve se estabelecer nos EUA e prospera em seus negócios, que são tocados de uma forma um tanto agressiva, como convém à máfia, e que se percebe nesta cena, em que o batismo não impede que os negócios continuem… Está em 2º lugar no ranking do IMDb. Vale a pena assistir! Voltando no tempo para mais uma obra-prima, que consagrou Clint Eastwood em sua longa carreira no cinema, mais recentemente como Diretor, encontramos este clássico:

 

Com trilha sonora inesquecível, uma brilhante e épica composição do genial Ennio Morricone, assisti este filme quando criança, e fiquei impressionado, numa época em que os Westerns, inclusive os italianos faziam muito sucesso. The Good, the Bad and the Ugly, (1966), no Brasil “Três Homens em Conflito”, mas confesso que não lembro deste título, porém, o nome original é “Il Buono, il Brutto, il Cattivo“. Está na nona posição no IMDb e realmente é imperdível, e só de ouvir a trilha sonora já sinto saudade daquela época, pois este clássico é a cara dos loucos anos 60. Assista!

Na área da música, os loucos anos 60 nos apresentou Jim Morrison, que deixou-nos uma obra de inegável qualidade e inspiração, e esta música é do seu primeiro álbum:

 

The Doors, 1967, mostrou algo de inovador, o rock psicodélico, que eu tanto gosto, e que acabou mais cedo do que devia. Músicas que evidenciavam um teclado com um som inovador, compostas como a música indiana, como mantras, e mesclados ao bom rock que surgia mais forte. Jim Morrison teve uma vida curta, mas produziu muito, deixando um legado de um gênio da música. A banda encerrou suas atividades em 1972, embora seus integrantes continuassem a produzir após a morte de Jim Morrison.

ultima apariçao publica dos Beatles

Em 1969, os loucos anos 60 perdem os Beatles, que fazem sua última apresentação em público. Paul McCartney, John Lennon, George Harrison, Ringo Starr e o tecladista Billy Preston fizeram uma apresentação surpresa no telhado da sede da gravadora Apple. Houve tumulto na rua. Logo uma multidão se formou nas ruas e nos telhados dos prédios próximos, e a polícia interviu, ameaçando os funcionários da Apple de prisão para serem admitidos dentro do prédio, mas eles continuaram tocando por vários minutos após a chegada dos policiais. Estavam chegando ao fim os loucos anos 60.

Moda e contracultura

estilo hippie anos 60

A moda dos anos 60 foi ditada pelo movimento Hippie, que influenciou os costumes de uma geração, e o Woodstock foi um capítulo deste movimento de contracultura que começa a enfraquecer já nos anos 70, dando lugar a novas ideias e costumes. Além de um novo estilo de roupa, filosofia, arte, música e vários pontos de vista anti-guerra e anti-establishment, alguns hippies decidiram afastar-se da sociedade moderna e reassentar em fazendas, ou comunas. 

Fonte:Wikipédia

Assim terminamos esta série dos anos 60, e esperamos ter contribuído de alguma forma com este resumo que deve ser visto como um estimulo para se pesquisar mais e assim chegarmos a alguma conclusão sobre o nosso jeito de ser dos dias atuais, as mudanças, boas ou ruins, e o que nos reserva o futuro!

 

                     Eu sou o Mauricio Super

                          Paz e Amor, bicho!

 

 

 

Conheça também o Classificados do Baú!

Acompanhe a gente nas redes sociais, olha as opções:

 

 

 

CC BY-SA 4.0 Os loucos anos 60 – O mundo era assim Cap III by Baú dos Antigos is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *