Portugal – Ladeiras da Nossa História

Portugal – Ladeiras da Nossa História

Olá, amigos que curtem a nossa História, e que são curiosos em saber as nossas origens, que nos fazem ser simplesmente o que somos! Começamos hoje uma série de matérias sobre esta nossa origem, escondida nas ladeiras de pedra e casarios que uivam o passado e nos chamam para entender… a nós mesmos!

Lisboa: bairro de Alfama

Foto por iStock / Sean Pavone

Nosso plano é apresentar antigas civilizações, em especial europeias, como Portugal, esta desconhecida dos brasileiros, embora saibamos de nossos fortes laços do passado! Vamos trazer informações sobre este País que têm chamado a atenção do mundo todo, e na sequência algumas cidades escolhidas à dedo. Outros países históricos terão sua passagem por aqui, e tentaremos resumir o que importa saber, e algumas curiosidades mais. Vamos juntos nesta viagem para tentar entender um pouco melhor quem somos nós!

Praia do Carvoeiro, distrito de Faro, Sul

A República Portuguesa está situada no extremo sudoeste da Europa, e faz divisa com a Espanha e com o Oceano Atlântico, formando uma costa extensa; são 1230 km em Portugal continental, 667 km nos Açores, 250 km nas ilhas da Madeira onde se incluem também as Ilhas Desertas, as Ilhas Selvagens e a ilha do Porto Santo. O regime de governo português é uma “República constitucional unitária semipresidencialista”. Nossa, mas o que é que isto significa?? Que palavrão para definir um sistema de governo! Isso mesmo, vamos explicar:

Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa-Crédito imagem: Ana Baião, Expresso

Bom, vamos por partes, uma “República constitucional” é um regime onde os governantes são representantes do povo e seguem uma constituição, e “unitária” caracteriza-se pela centralização política e do poder legislativo, que está reservada para os órgãos centrais, e isto é puramente administrativo, e “semipresidencialismo” é um sistema de governo em que o presidente partilha o poder executivo com um primeiro-ministro e um gabinete, sendo os dois últimos responsáveis perante a legislatura de um Estado. A divisão geográfica de Portugal é muito diferente do que estamos acostumados, pois somos um País Continental e Portugal equivale a menos da metade do território do Paraná.

ponte sobre o rio Tejo, Lisboa

crédito imagem: Martinho Morouço | Dreamstime.com

Então, vamos pensar diferente. Portugal tem como capital Lisboa, que é a cidade mais populosa. As principais divisões administrativas são os 18 Distritos, que são Regiões com um nível supramunicipal. Podemos comparar com os Estados no Brasil. Os principais distritos são o de Lisboa e Porto (não confundir com as cidades de mesmo nome). As capitais dos distritos sempre têm o mesmo nome deste, então o Distrito de Lisboa tem 16 municípios, e tem como Capital o município ou Concelho de Lisboa. Difícil até aqui? Até que não!

Lisboa é Capital da República de Portugal, Capital do Distrito de Lisboa, que agrega 16 municípios, e município sede de 24 freguesias; sendo que cada um dos 16 municípios de seu Distrito tem suas freguesias agregadas e são a sede destas. As Freguesias são a menor unidade administrativa de Portugal. Existem ainda os bairros dentro destas freguesias, com suas denominações que as localizam mais facilmente pelo povo. Herdamos muito destes termos até os dias de hoje.

Distritos de Portugal

Para completar, Portugal tem duas regiões autônomas: os arquipélagos dos Açores e da Madeira, dotadas de um estatuto político-administrativo e de órgãos de governo próprios. Podemos identificar no mapa os 18 Distritos de Portugal, mais ou menos como os nossos Estados, didaticamente, mas com suas próprias características geográficas e político-administrativas. Tenho pesquisado muito para entender as características desse país, por este motivo posso afirmar que para a maioria de nós é um País desconhecido. Então precisamos redescobrir Portugal, pois os tempos imemoriais da colonização passaram e estamos numa nova fase, onde os dois países se aproximam e cooperam para benefício mútuo. Se com esta explicação você continua achando difícil entender como as coisas funcionam por lá, não se preocupe, pois eu ainda estou à caminho de entender, e vou explicando nos próximos capítulos passo a passo, assim aprendemos juntos.

Mas, afinal, vale a pena conhecer Portugal?

 

Breve história do povo português e ocupação do território

Portugal formou-se em 868 d.C., portanto tem 1150 anos de história encravada em suas ruelas e calçadas de pedra, e hoje em dia em suas amplas rodovias e pontes monumentais, que a tornam um País cosmopolita, em regiões como Lisboa, tendo um afluxo muito grande de turistas e gente de todo o planeta. Voltando lá para o início, nos tempos pré-históricos, Portugal foi ocupada por celtas, como os galaicos e os lusitanos.Independência de PortugalSeu território foi integrado na República Romana, e depois colonizado por povos germânicos, como os suevos e visigodos. No século VIII seu território foi conquistado pelos mouros. Durante a reconquista foi formado o Condado Portucalense (868-1139). Foi então estabelecido o Reino de Portugal em 1139, após muitas lutas pela independência e reconquista cristã contra os povos invasores, até que se formou a primeira dinastia e Casa Real: Os Borgonha. Este Império Colonial Europeu foi o mais duradouro de todos, durante quase 600 anos, com muitas conquistas e formação de colonias pelo mundo, e apenas começa a reduzir sua importância mundial após a Independência de sua maior colonia, o Brasil, processo que se inicia em 1822.

Porto, Norte de Portugal

Temos mil motivos para conhecer Portugal, e quem viajar para lá vai encontrar paisagens de tirar o fôlego, num país que reúne as melhores oportunidades de turismo em cidades cosmopolitas como Lisboa, ou em vilarejos sossegados e bucólicos que são em grande número espalhados por todo o seu território. A população de Portugal se concentra na região do litoral, em especial nas regiões de Lisboa e Porto, e a facilidade do idioma torna tudo mais fácil e atrativo para nós. Hoje em dia a população de Portugal reduz à cada ano, seu povo envelhece e a população jovem é insuficiente para repor este envelhecimento, como têm ocorrido em alguns países do velho continente, e mais intensamente em Portugal. Atualmente surgem oportunidades para nós brasileiros, para morarmos e refazermos nossas vidas por lá, através de convênios entre os dois países, que facilitam alguns processos de vistos, sem falar na facilidade do idioma.

pastéis de nata

Mas o excesso de exploração deste acordo firmado entre os dois governos pode causar sérios problemas para quem não se planejar com cuidado e se entusiasmar com um novo paraíso para viver, colocando em risco a própria viabilidade destes acordos. As promessas das redes sociais podem transformar um sonho em pesadelo, então, pesquise os vários pontos de vista antes de tomar uma decisão. Enfim, seja para morar, seja para fazer turismo e conhecer lindas paisagens e uma gastronomia surpreendente, num país com uma estrutura de turismo em franco desenvolvimento, capaz de agradar gente do mundo todo, Portugal é um destino certo, e eu estou me preparando para conhecer estas terras, fazer turismo por lá e poder explicar com mais detalhes nossas origens e entender melhor o que somos. Então, viva Portugal!

Não perca as próximas matérias e conheça melhor nossas origens!Chaves, no distrito de Vila Real, Norte

Eu sou o Mauricio Super

Trazendo o passado para o presente!!

Conheça também o Classificados do Baú!

Acompanhe a gente nas redes sociais, olha as opções:

 

CC BY-SA 4.0 Portugal – Ladeiras da Nossa História by Baú dos Antigos is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *