Portugal – Os encantos de Corvo, o menor povoado do país

Portugal – Os encantos de Corvo, o menor povoado do país

Olá, meus amigos fãs de História e do nosso passado, vamos prosseguir mostrando esta desconhecida Portugal, que faz parte do que somos hoje, e que volta a se unir ao Brasil em laços de amizade e cultura. Vamos começar por este vídeo da encantadora ilha de Corvo, para que você se apaixone:

 

Como abordamos na matéria inaugural desta série, Portugal tem uma parte continental e duas regiões autônomas, os arquipélagos dos Açores e da Madeira, com sistema político-administrativo e governo próprios. A Ilha de Corvo é a menor das ilhas do arquipélago dos Açores. O povoado único da ilha é chamado de Vila do Corvo, com 17,13 km² de área e 430 habitantes (2011).

 aeroporto de Vila de CorvoEsta imagem é do aeroporto local. Imagine a comodidade de poder chegar num paraíso destes de avião!

Inaugurado em 1983, tem uma pista de 800 metros, e são cinco dias por semana com voos no verão e três no inverno.

A Vila do Corvo reserva atrações como o patrimônio Igreja Nossa Senhora dos Milagres, de 1795 arquitetônico, com destaque para a Igreja Nossa Senhora dos Milagres, de 1795, e no interior desta pode-se ver a estátua da padroeira, obra flamenga do século XVI da escola de Malines, um Cristo em marfim e uma imagem em madeira de Nossa Senhora da Conceição, entre várias outras imagens. Também fazem parte deste conjunto arquitetônico de interesse do patrimônio local, os moinhos de vento, que embora não sejam mais utilizados para o fim que foram destinados na construção, se mantém preservados como de interesse municipal.Moinho de vento 

O casario da vila é um verdadeiro museu vivo, também classificado como conjunto de interesse público, onde as pessoas mais antigas preservam no falar expressões arcaicas únicas com uma evolução linguística muito própria. Em duas casas tradicionais cuidadosamente recuperadas foi instalado em 2007 o Ecomuseu do Corvo, um moderno centro interpretativo cultural e ambiental acerca da ilha, com espaço museológico e galeria para exposições temporárias. A vida segue no ritmo da natureza e a ilha é um local de contemplação, e que também reserva tradicionais festas e comemorações típicas.casario da vila: museu vivo Uma das festividades da ilha é a Festa do Divino Espírito Santo que acontece todos os anos no 7º Domingo depois da Páscoa faz-se o cortejo com missa solene e as sopas do Espírito Santo onde toda a população é convidada e no 2º fim-de-semana de Julho é que é a festa profana com arraial, tasca, artistas e convidados, havendo no Domingo mais uma vez o cortejo com coroações, o bodo de leite. A Festa de São Pedro (24 a 26 de Junho), que acontece sempre no fim-de-semanaFesta do Divino Espírito Santo mais próximo do dia 29 de Junho que é o dia de São Pedro e a festa da Sagrada família que ronda quase sempre o último fim-de-semana de Julho, a Festa e Romaria de Nossa Senhora dos Milagres (15 de Agosto) na qual se integra o Festival de Verão dos Moinhos, e também a festa da Senhora do Bom Caminho que costuma ser no 1º ou 2º fim-de-semana de Setembro. Agora, o que a natureza reserva ao visitante é deslumbrante, e o ponto alto neste roteiro é o caldeirão, o berço de um vulcão que guarda em seu leito uma lagoa em uma paisagem que não são deste planeta, de beleza insólita e misteriosa, a visita é para se demorar na contemplação e perder o fôlego com a vista.

Segue uma amostra desta paisagem.

Caldeirão, de beleza insólita

Então para você que gosta de natureza e trilhas este é o seu destino quando houver oportunidade para tal, pois a ilha é considerada ótima para observação de aves, dada a grande diversidade de espécies existente aliada ao fato de receber indivíduos de espécies que fazem parte das principais rotas migratórias da América do Norte e da Europa e que ficam desorientados por causa de tempestades. Você pode também fazer o caminho pedestre do Corvo, criado pela Câmara Municipal, que desenvolve-se ao longo do Serrão Alto e do Espigãozinho e tem uma extensão de 5,30 quilômetros e que se inicia junto ao Miradouro do Caldeirão e tem o seu fim no local denominada Cancela do Pico. 

Para você que gostou e quer saber mais sobre esta encantadora ilha, segue um vídeo com um resumo de tudo que se escreveu acima, realizado numa parceria entre diversos patrocinadores e a administração da ilha:

 

Ufa, tem coisa pra fazer nesta ilha, pois além do caminho pedestre que já citamos, tem também outro denominado Cara do índio, e como observação importante para você que se aventure por lá, não os faça sozinho, sempre pegue um guia para lhe orientar, pois tem perigos para quem não conhece as trilhas. Saiba que esta ilha foi declarada no mês de Setembro de 2007 como Reserva da Biosfera pela UNESCO. 

Sociedade Filarmônica Lira Corvense

A ilha tem até uma Filarmônica chamada Sociedade Filarmônica Lira Corvense, instituída em 1938,  composta atualmente por 26 músicos, na sua grande maioria jovens. As atuações desta filarmônica tem sido destinadas principalmente a abrilhantar festas religiosas e profanas, bem como na apresentação de cumprimentos e em recepções a diversas individualidades que visitam a ilha do Corvo. Quer saber mais curiosidades da ilha?

A Ilha tem suas lendas, e entre elas encontra-se a Lenda da Ermida de Nossa Senhora dos Milagres da ilha do Corvo e a muito famosa Lenda do Cavaleiro da ilha do Corvo, já deu origens a livros. Mas aí já é outra história… Fique conosco e saiba mais da Cultura Antiga!

Eu sou o Mauricio Super

Trazendo o passado para o presente!!

Conheça também o Classificados do Baú!

Acompanhe a gente nas redes sociais, olha as opções:

 

 

 

 

CC BY-SA 4.0 Portugal – Os encantos de Corvo, o menor povoado do país by Baú dos Antigos is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *