Rock anos 70 – Megabandas e sua estética visual exuberante

Rock anos 70 – Megabandas e sua estética visual exuberante

O Rocand Roll é apenas mais um ritmo musical?

Ou Seria mais do que isso, um estilo de vida??

Vamos ver isso agora?

estetica exuberante atrai fãs

Os anos 1970 marcaram o início de uma estética própria para o Rock. As diversas vertentes do Rock foram se formando através do impacto visual associado ao estilo musical. As bandas foram se diferenciando e criando suas bases de fãs por todo o mundo, cada qual com seu conceito. O Kiss é com certeza a banda de visual mais exuberante dos anos 1970 e talvez de todos os tempos, quando o assunto é Rock. Venderam mais de 100 milhões de cópias de seus discos pelo mundo, surgiram em 1973 e seguem até hoje influenciando o Rock e sua estética, que faz parte de todo um estilo de vida. Revolucionários, criaram uma legião de admiradores fanáticos.

Kiss tem sua estética exclusiva, nunca vista antes! A língua de Simmons acabou se tornando uma característica da banda, mas para quem imagina que este visual atrai pessoas agressivas, esqueça. A performance da banda é teatral, atrai multidões e entre elas, além dos homens, também mulheres e crianças, visto que seu visual é inspirado até em super-heróis em quadrinhos e do teatro japonês, misturando referencias e incluindo até sangue (de cinema) em suas performances, mas não assusta as crianças.

visual de herois dos quadrinhos e teatro japones

 Banda Kiss em apresentação mais recente, mantendo seu estilo vivo entre os fãs!

 

Mas vamos em frente, mostrar mais desta estética que emplacou no Rock!

Outro exemplo de estética dos anos 70 para demonstrar este fenômeno cultural vem do Alice Cooper…

 

cobra em palco e letras obscenas

Shows de Rock inovadores, mas com um elemento diferente do Kiss, com um visual gótico, as letras são obscenas, obscuras e sangrentas. Cobras e pesadelos em palco, com a intenção mesmo de chocar o público. Vincent, (Alice Cooper), inicia sua carreira com uma banda de mesmo nome, e depois segue carreira solo; logo no início, criou um visual de terror em palco , e até já atuou em filmes do gênero, e este estilo único e ousado já lhe rendeu a venda de mais de 50 milhões de álbuns. Vamos ver e ouvir este cantor genial:

Alice Cooper prossegue fazendo shows até os dias atuais, teve sua época de declínio por conta de problemas com alcoolismo, mas retornou renovado e continua influenciando bandas e atores até os dias atuais. 

Vincent - Alice Cooper

A História da banda começa em 1964 quando Vincent (Alice Cooper) se junta a dois amigos para participar de um show de calouros anual em Phoenix. Em 1966 lançam uma canção que se torna sucesso na rádio local. Em 1968 é adotado o nome oficial da banda e Vincent (agora Alice) adota seu visual gótico, e o perfil de palco da banda inspirado em filmes de terror, pois quer contrariar a fama de “heróis” dos vocalistas das bandas de então, sendo um “vilão entre eles”. A banda sobrevive até 1973 e então Alice Cooper faz carreira solo, primeiro gravando em estúdio, por dificuldades de se apresentar ao vivo, e depois retorna renovando sua carreira.

 

Mas vamos em frente, agora com uma banda que reuniu os dois visuais anteriores e criou um terceiro exemplo de estética exuberante setentista.

 

Não podemos comparar o Iron Maiden com as bandas anteriores, mas as influências estéticas estão presentes, pois eles surgiram depois daquelas. O visual assustador, terrível, porém atraindo uma legião de jovens bem precoces no Rock, que acabam se tornando seu público fiel e fanático, tipo uma iniciação no estilo.

Iron Maiden e seu terrivel mascote

Banda que investe muito no visual e nas inspirações das letras, e embora tenha causado polêmica com o lançamento do álbum “The Number of the Best”, em 1982, quando os cristãos inicialmente queimavam as gravações, mas depois decidiram destruir eles próprios usando martelos com medo de inalar a fumaça dos vinis em chamas, e que se uniram mundialmente nesta cruzada, esforçando-se para impedir apresentações da banda, que eles passaram a considerar satânica.

Ok, estas coisas bizarras ajudam a formar o sucesso dos artistas, visto que é a música mais conhecida de toda a carreira da banda, e devemos agradecer a eles por isso. Vamos ouvir então, com o terço nas mãos:

Está aí o show proibido pelos cristãos. Na contramão das acusações, a banda sempre negou a ideia de serem satanistas, com o vocalista Bruce Dickinson afirmando isso em pleno palco, como pode ser visto no vídeo Live After Death. Afirmou que eles perderam a noção completamente, obviamente não leram as letras, queriam que todos acreditassem que fôssemos satanistas. 

visual assustadorAo longo da carreira de mais de 40 anos, o Iron Maiden coleciona prêmios fantásticos, e está na calçada da fama de Hollywood. O nome “Iron Maiden”, homônimo de um instrumento de tortura medieval que aparece no filme O Homem da Máscara de Ferro como uma horrenda máscara de ferro, foi baseado na obra do romancista francês Alexandre Dumas.

Banda Britânica que ganhou o mundo, e continua fazendo legiões de fãs, em torno do número da besta, seria coincidência ou algum terrível pacto que alavancou esta carreira tão fabulosa? Você é que sabe, está ai a matéria especial sobre a estética setentista e suas variações! Eu costumo avaliar as bandas de Rock pelo som que elas fazem, mas acho genial aliar a estética ao movimento para incrementar os shows, se unirmos os dois elementos, fechou!

Até a próxima pois voltaremos a falar do assunto!

Eu sou o Mauricio Super

Fã da estética setentista

CC BY-SA 4.0 Rock anos 70 – Megabandas e sua estética visual exuberante by Baú dos Antigos is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *