Séries da TV – Ep III – Especial Brasil –

Séries da TV – Ep III – Especial Brasil –

No episódio de estreia nós vimos “Perdidos no Espaço”, desde a série clássica até os dias atuais. Quanta saudade dos seriados que embalaram nossa infância! Mas quando se fala em séries, a gente acaba esquecendo as “nossas” séries brasileiras, que embalaram nossas tardes de folga ou nossas noites preguiçosas na frente da TV!

Vamos então começar com esta série produzida entre 1972 e 1974:

Shazan, Xerife e Cia.


Shazan (Paulo José) e Xerife (Flávio Migliaccio)Shazan, Xerife & Cia. foi um seriado infanto-juvenil brasileiro da Rede Globo, exibido entre 26 de outubro de 1972 e 01 de março de 1974. Os episódios tinham 30 minutos de duração e mostravam uma história completa. A partir de 01 de abril de 1973, passou a ser exibido de segunda a sexta, às 18:00, com episódios que duravam vários capítulos, as histórias duravam um mês em média. O seriado usava uma linguagem com elementos do circo e veiculando mensagens educativas. Os protagonistas são uma dupla de mecânicos atrapalhados Shazan (Paulo José) e Xerife (Flávio Migliaccio) que decidem percorrer o mundo, ou pelo menos o Brasil, a bordo de sua camicleta (caminhão-bicicleta) procurando emprego e aventuras, se deparando com as mais inusitadas situações. A dupla está procurando uma peça mágica que fará com que eles realizem seu grande sonho: construir uma bicicleta voadora. Mas sempre acontece algo, e Shazan e Xerife são desviados de seu objeto.

Como curiosidade, os personagens Shazan e Xerife são originários da telenovela O Primeiro Amor, de Walter Negrão. O sucesso da dupla foi tanto que, com o fim da novela, a TV Globo decidiu dar continuidade às suas aventuras no seriado. Outra curiosidade é o tema do seriado, também emprestado da novela, Hey Shazan!, do Osmar Milito e Quarteto Forma. Vamos ouvir: 

 

Vamos em frente, para mostrar mais uma série de muito sucesso da televisão brasileira, eu confesso pra vocês que eu assisti esta primeira versão da grande família, com o saudoso Seu Floriano, que era o avô representado pelo falecido Brandão Filho, e que por decisão da emissora, não foi substituído na série atual, ficando como lembrança na família, com citações e homenagens ao original no remake da série. Vamos recordar este pessoal da série original:

A Grande Família (1972)


A Grande Família é uma série de televisão brasileira, que estreou no mesmo dia que Shazan, Xerife e Cia, produzida pela Rede Globo e exibida entre 26 de outubro de 1972 a 27 de março de 1975, às 21h00, tendo totalizado 112 episódios. FoiA Grande Família, de 1972 baseada, a princípio, no seriado norte-americano de sucesso All in the Family, tendo sido escrita por Max Nunes, Roberto Freire, Oduvaldo Viana Filho, Armando Costa e Paulo Pontes, e dirigida inicialmente por Milton Gonçalves, e depois por Paulo Afonso Grisolli. A narrativa dos episódios se concentrava numa família sempre muito unida, que tentava, à sua maneira, sobreviver às dificuldades financeiras e de relacionamento. As críticas sociais eram feitas de forma muito criativa, na tentativa de driblar a censura da época, embora nem sempre fosse possível fugir dos cortes implacáveis dos censores.

Finalizando, vamos mostrar uma série bastante longeva, que trouxe uma riqueza de dramaturgia à televisão, com peças famosas de grandes escritores e também textos próprios, mas sempre com um elenco de primeira grandeza, que foram fazer fama mais tarde com a evolução da televisão no país.

Caso Especial, Quarta Nobre na Globo

Caso Especial fez parte da grade de programação produzida e exibida pela Rede Globo entre 10 de setembro de 1971 e 5 de dezembro de 1995, com dia, horário e periodicidade de exibição variados, tendo totalizado 172 episódios.

Cada episódio tinha duração média de uma hora. Tratava-se de uma repaginação do antigo teleteatro, com episódios de estúdio, e sempre apresentando uma história completa. Vamos ver um cena de um episódio:

 

Caso Especial:  A Pérola – 09/12/1971

Os textos podiam ser inéditos ou adaptações de filmes, peças teatrais, contos e romances, e a direção ficou a cargo de diversos profissionais ao longo do tempo. De 1988 até 1995, ano no qual o programa encerrou definitivamente, passou novamente a ser emitido com período regular, integrando a Quarta Nobre. Era interessante, e trazia contos famosos inclusive, clássicos da literatura, como  Quincas Berro D’Água, baseado na obra de Jorge Amado, e o não menos famoso Morte e Vida Severina, baseado na obra de João Cabral de Melo Neto. Boa dramaturgia, e deixou famoso o elenco nacional e equipe de produção por seu ótimo resultado e desempenho profissional, alcançando um bom público.

E Então, vamos lá recordar? Só respeitando o passado é que podemos construir o presente, corrigindo o que não deu certo, e prosseguindo nos acertos. Isto é viver, isto é evoluir! Curta a página do Baú e conheça as novidades toda semana!

Não perca o próximo capítulo, novas séries antigas brasileiras!!

Eu sou o Mauricio Super

Trazendo o que há de bom na Cultura Antiga

Acompanhe a gente nas redes sociais, olha as opções:

 

 

 

CC BY-SA 4.0 Séries da TV – Ep III – Especial Brasil – by Baú dos Antigos is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

One Response so far.

  1. […] ao assunto para falar das séries brasileiras, conforme prometido na matéria especial séries brasileiras, afinal de contas temos muito humor e diversão em nossa Cultura Antiga e que devemos manter firme […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *