Ubiratan Rios – Legado de um tricampeão

Ubiratan Rios – Legado de um tricampeão

     

Uma carreira Nacional e Internacional vitoriosa e seus inúmeros troféus

 

parte dos inumeros trofeus de Ubiratan Rios

 

A imagem acima nos dá a dimensão da carreira deste profissional, que representou o Paraná de forma tão brilhante, com uma carreira voltada às várias categorias do motociclismo, Nacional e Internacional, nos anos 1970 e 1980.

 

Mas quem é o Bira?

charge do Ubiratan, - "bira louco"

Quando fui convidado para fazer esta matéria, já senti a responsabilidade de retratar este fabuloso esportista, que nos deu tanto orgulho, mas que a memória não reservou destaque. Quando fiz a matéria sobre o Encontro de Motos da Praça do Atlético, em Curitiba, o Alex fez um comentário sobre o amigo Ubiratan Rios, lembrando-nos que foi ele que escolheu este local do encontro, lá em 2007. Devemos à ele a motivação para esta matéria especial.

Segue abaixo um trecho do comentário do Alex:

“Bira, como era conhecido, foi um amante das motos antigas, corredor tanto na categoria off road como nas pistas de velocidade; colecionou troféus e motos. Suas maiores conquistas são o tri- campeonato Brasileiro de pista de velocidade na categoria 350cc, com uma Yamaha modelo TZ.
Competiu fora e venceu uma corrida na Venezuela no campeonato Sul americano.
Sua história mereceria uma matéria aqui pois ainda ninguém contou com detalhes.
Seu filho Tony guarda, além do macacão de pilotagem, uma pasta com farto material em recortes de jornal cuidadosamente guardado pelo nosso campeão relatando a sua carreira vitoriosa nas pistas de corridas de moto.”

Partindo disto, estive com o Tony e o assunto seguiu à partir do material citado, cedido gentilmente por ele para este fim.

 

Estas imagens são de um álbum de fotos do Bira cuidadosamente organizado

categoria 350cc - Yamaha modelo TZCategoria 350cc. Yamaha modelo TZ

"Bira Louco" sempre à frente

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O material é tão rico e as vitórias tantas, que seria uma grande injustiça pontuar o que é mais importante, o que é mais marcante numa carreira tão diversa, em que o “Bira Louco” correu em várias categorias, até na terra, se destacando também. Era Curitibano de nascimento, mas além do Paraná, fez bonito também em Blumenau, Joinville, e muitas outras cidades. Brilhou em disputas Nacionais e Internacionais, como na Venezuela, e correu numa época em que as manchetes de Jornais enfatizavam a desorganização e a falta de segurança, e ele driblou isto tudo com coragem e fé, e deu a volta por cima colecionando vitórias e mais vitórias. Segue uma ilustração artística dos seus feitos, em imagens de seus recortes de jornais, que ele mesmo organizava com o mesmo cuidado e organização com que corria e cuidava de suas motos. 

 

O que os jornais falavam sobre o Campeão

realidade dos campeoes brasileiros

 

album montado pelo Bira recortes de vitorias campeao nos noticiarios presente na revista 4 rodas muitas vezes campeao vitorias e campeonatos em manchete de novo a palavra campeao para definir Ubiratan Rios

 

 

 

 

 

 

 

 

Cada recorte lido, uma surpresa, e não é para menos que o Tony precisa criar mais espaço para guardar tantos troféus, e uma coleção de títulos de fazer inveja aos jovens talentos, que devem respeito e reverência aos pioneiros que abriram o caminho para que as competições melhorassem o nível, a segurança e o profissionalismo, respeitando os esportistas das diversas categorias. A memória do brasileiro é curta, e aí eu mesmo confesso, motivo pelo qual meu trabalho tem aberto portas para o conhecimento do passado, da Cultura que deixamos vazar pelo ralo à nossa frente. Não tenho a pretensão de mostrar detalhes da vida deste homem, que tanto fez pelo Motociclismo Nacional, e sim fazer um desafio para que você pesquise, leia e conheça nossos heróis, como o Ubiratan Rios. Quando estive na oficina do Tony, percebi que o DNA do Ubiratan estava ali, e não só o nome herdado (Tony é seu apelido) pois o seu nome é o mesmo do Pai, que passou seus últimos anos de vida morando com ele. Para encerrar, seguem detalhes de alguns troféus, que me chamaram a atenção não pela beleza estética, mas pelo profundo significado de um trabalho duro sobre duas rodas.

 

Lindos detalhes dos troféus conquistados

detalhes de trofeus do Ubiratan Rios

 

 

 

 

 

 

 

famosa taça centauro, 1976

 

 

 

 

 

 

 

 

que Ubiratan tenha alcançado a luz...

Para o Baú foi uma grande satisfação contar esta História, e havendo oportunidade contaremos a História do amigo, Pai e amante de motos antigas, não apenas do esportista campeão. O material é farto, suficiente para publicar um livro, mas cabe a nós, do Baú dos Antigos, resumir o assunto e provocar o Internauta à saber mais. Mas enfim, não resisto em publicar estas imagens para fechar a matéria:

 

São inúmeros os diplomas de mérito como estes

premiação de 1962, muitos de nós nem era nascido... nova premiação de 1962, muito caminho andado

 

 

 

 

 

 

Obrigado Tony, e que o seu Pai, nosso herói Ubiratan Rios, que faleceu no dia 08 de Dezembro de 2015, aos 72 anos de idade, sinta-se homenageado, e que seu nome fique gravado não só na memória das pessoas que conviveram algum tempo com ele, e que puderam conhecer e acompanhar seu legado para o presente e para o futuro dos amantes do motociclismo, mas que através desta matéria possa alcançar mais e mais pessoas interessadas na preservação de nossa memória!

DNA de moto e nome herdado do Pai, Ubiratan entre os troféus e motos

 

Eu sou o

Mauricio Super

Até breve

 

 

CC BY-SA 4.0 Ubiratan Rios – Legado de um tricampeão by Baú dos Antigos is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

4 Responses so far.

  1. Arlei disse:

    Conhecí o Bira qd. corria de Turuna.

  2. Jota Pereira disse:

    Sou de Joinville e vi diversas vezes esse e outras féras como o Sebastião Torquato, Denisio Cassarini, darem espetáculos na pista do Moto Clube de Joinville no bairro Panaguamirim. Tempos bons! Era sábado e domingo de festa e altas motos! Nunca mais se viu isso e provavelmente nunca mais veremos essas super motos e esses super Pilotos!

    • Bom dia, ficamos contentes em alcançar o nosso objetivo, que é despertar estas memórias de momentos felizes do passado, que não devem ficar no esquecimento! Fico imaginando o que acontecia nestes tempos do Moto Clube, que saudade, não é mesmo!!
      Obrigado pela participação;fique à vontade para contar esta passagem de sua vida, e mandar imagens, sua História interessa a todos os apaixonados por motos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *